Atuar

Atuar

Representar/atuar é a mais espiritual das profissões , pela simples razão de que o ator tem de se identificar com o acto que está a desempenhar e, no entanto, permanece um observador.

Se ele está a representar Hamlet, tem de se abandonar totalmente a si mesmo na sua representação e, no entanto, no cerne mais profundo do seu ser, tem de continuar a ser um espectador. Se se idenificar totalmente com Hamlet, então, forçosamente, haverá problemas.

Por isso, o ator real tem de viver um paradoxo: ele tem de representar como se fosse aquilo que está a representar, e apesar disso, lá no fundo, saber que não é aquilo. É por isso que eu digo que representar é a mais espiritual das profissões.

Espiritualidade de A a Z – Osho

Aceitação/Aceitar

Aceitação/Aceitar

Só por 24 horas, experimente aceitar totalmente o que quer que aconteça.  

Se alguém o insultar, aceite-o, não reaja e veja o que acontece. Subitamente, sentirá uma energia como nunca sentiu a fluir dentro de si. Normalmente, quando alguém o insulta sente-se fraco, sente-se perturbado, começa a pensar como é que se vai vingar. Essa pessoa deitou-lhe o anzol e agora você vai ficar a andar em círculos.  

Durante dias, noites, meses, até anos, não vai ser capaz de dormir, vai ter pesadelos. As pessoas conseguem desperdiçar uma vida inteira por causa de uma coisa pequena, só porque alguém as insultou. 

Olhe simplesmente para o seu passado e lembre-se de algumas coisas. Você era criança pequena e o professor chamou-lhe idiota na aula, ainda se recorda disso e sente ressentimento. O seu pai disse-lhe qualquer coisa ou a sua mãe olhou para si de uma certa maneira, e essa ferida permanece desde então. Os seus pais esqueceram-se e mesmo que os lembre não vão ser capazes de o recordar. 

No entanto, a ferida ainda está aberta, fresca; se alguém lhe tocar, você vai explodir. Não faça desta ferida a sua alma. 

Durante 24 horas, só 24 horas, tente não reagir a nada, não rejeitar nada, o que quer que aconteça. 

Se alguém o empurrar e cair no chão, caia! A seguir, levante-se e vá-se embora. Não faça nada a respeito disso. 

Se alguém lhe bater, baixe a cabeça e aceite-o com gratidão. Vá para casa, não faça nada, só por 24 horas e vai conhecer um novo surto de energia como nunca conheceu antes e uma nova vitalidade. 

E uma vez que a conheça, uma vez que a tenha provado, a sua vida será diferente. Nessa altura, vai rir das coisas parvas que tem estado a fazer, de todos os ressentimentos, reações, das vinganças com que tem estado a destruir-se a si mesmo. 

Ninguém o pode destruir exceto você mesmo; ninguém o pode salvar exceto você mesmo. Você é Judas e é Jesus. 

Osho – Espiritualidade de A a Z

Absurdo

Absurdo

Tudo o que é belo é absurdo.

A beleza é absurda. A alegria é absurda. A alegria é absurda. O riso é absurdo. O amor, a paz, a iluminação – todos eles são absurdos, absurdos no sentido em que não têm qualquer significado para além de si mesmos.

O seu significado é intrínseco.

Coleccione tantos absurdos quanto possível. Quantos mais absurdos tiver, mais rico será!

Osho – Espiritualidade de A a Z

Abstracções

Abstracções

É simples gostar de coisas abstractas.

É mais simples gostar da humanidade do que dos seres humanos, porque ao gostar da humanidade não está a arriscar nada. Um só ser humano é muito mais perigoso do que toda a humanidade.

A humanidade é uma palavra, uma abstracção, não há nenhuma realidade que lhe corresponda. Um ser humano é a realidade, e quando se cruza com a realidade com a realidade vai haver bons momentos , maus momentos, dor, prazer, altos e baixos, agonias e êxtases.

Amando a humanidade, não vai haver nenhum êxtase, nem nenhuma agonia. De facto, amar a humanidade é uma maneira de evitar os seres humanos.

Como não consegue amar os seres humanos, começa a amar a humanidade só para se enganar a si mesmo.

Evite as abstracções.

Osho – Espiritualidade de A a Z

Absoluto

Absoluto

Nunca use a palavra “absoluto”, evite-a tanto quanto possível, porque é a palavra “absoluto”que cria os fanáticos.

Ninguém tem a verdade absoluta. A verdade é tão vasta!

Todas as verdades são forçosamente relativas.Foi a palavra “absoluto” que arrastou a humanidade par a desgraça. Os muçulmanos pensam que a verdade absoluta está no Alcorão. Os cristãos pensam que a verdade absoluta está na Bíblia. Os hindus pensam que a verdade absoluta está no Gita, e por aí fora. E como é que podem existir tantas verdades absolutas?

Daí os conflitos, as querelas, as guerras, as cruzadas religiosas, as jihads:

“Matem aqueles que afirmam que a verdade deles é absoluta – a nossa verdade é que é absoluta!”

Ao longo dos tempos, têm sido cometidos mais assassínios, mais violações e mais pilhagens em nome da religião do que em nome de outra coisa qualquer.

E a razão?

A razão está na palavra “absoluto”.

Lembre-se sempre: tudo o que nós poderemos alguma vez saber é obrigatoriamente relativo.

Osho – Espiritualidade de A a Z

Aborrecimento

Aborrecimento

Aborrecimento significa simplesmente que a maneira como está a viver é errada.

Porque é que se sente aborrecido?

Sente-se aborrecido porque tem estado a viver de acordo com padrões mortos que lhe foram dados pelos outros. Renuncie a esses padrões!  Comece a viver por si mesmo (…).

Toda a humanidade está aborrecida, porque a pessoa que deveria ter sido um matemático é um político, a pessoa que deveria ter sido um poeta é um homem de negócios. Ninguém está no lugar certo; toda a gente está noutro qualquer.

Portanto, quando está aborrecido consigo mesmo, tal acontece porque não tem sido sincero consigo mesmo, não tem sido honesto consigo mesmo, não tem tido respeito pelo próprio ser.

Tem de correr riscos. O aborrecimento pode desaparecer de um momento para o outro se estiver pronto a correr riscos.

Espiritualidade de A a Z OSHO

 

Pin It on Pinterest